Psicologia e Carreira Pública | Curso regular de Psicologia para Concursos

VOCÊ VEIO AO MUNDO PARA SER VOCÊ: NÃO SE DISTRAIA!

E aí, pessoal! É com muita alegria que venho anunciar para vocês uma ótima notícia: agora o Estratégia Concursos oferece material específico para a preparação de concursos de psicologia! Maravilha, né? Afinal, não tem nada melhor do que conseguir ser aprovado no cargo dos nossos sonhos.

Estou aqui, inclusive, para falar um pouquinho com vocês sobre sonhos e decisões que tomamos para nossas vidas. O percurso para a aprovação não é um caminho fácil: exige muito esforço e persistência. Mas isso vocês provavelmente já devem saber. O que quero realmente perguntar é: você sabe qual é o cargo dos seus sonhos?

A resposta para essa pergunta é muito importante e pode determinar o seu sucesso e sua aprovação. Vou contar uma história para vocês, que não por coincidência é a minha, para trazer alguns pontos que acho muito importante dividir com vocês.

O concurso de psicólogo de Tribunal de Justiça é bastante concorrido. A remuneração é atraente, a jornada de 30 horas semanais também, além da área ser bastante interessante e reconhecida. Quando saiu o edital do TJ/SP, eu decidi sem dúvidas fazer a prova, determinei que iria estudar muito e me dedicar bastante para conseguir um bom resultado.

Sabe o que era essa certeza e motivação enorme dentro de mim? Vou explicar. Logo antes de começar a graduação em Psicologia, enquanto eu ainda cursava Jornalismo, eu comecei a fazer análise. E esse processo me fez ver e pensar o mundo de forma bem diferente, me trouxe tantas mudanças interessantes, que me fez ficar muito interessada pela Psicologia.

Eu continuei fazendo análise durante toda a graduação, apesar de nunca ter ficado muito claro para mim o que de fato me motivava a continuar. Também não estava bem nítido o que tinha me levado a abandonar o Jornalismo e optar pela Psicologia.

Durante o meu percurso, sempre estudei e trabalhei com a clínica psicanalítica, principalmente com o público infanto-juvenil e com casos de saúde mental, que envolviam quadros mais graves como as psicoses e o autismo. Isso me despertou para querer trabalhar e atuar em conjunto com áreas como o Judiciário e a Assistência Social. E quando saiu o edital do TJ/SP, eu sabia que era um cargo ótimo para aliar a minha escuta de psicóloga com os casos ligados à Justiça envolvendo guarda, adoção, menores infratores, divórcios, disputas litigiosas, mediação de conflitos familiares, laços e rupturas, enfim.

Estudando o conteúdo do edital, eu fiquei muito envolvida. Era como se eu estivesse estudando, teoricamente, a história da minha vida. Era como se tudo que eu sentia e pensava e falava na análise todos esses anos estivesse corroborado por diversos autores e, inclusive, era um campo de atuação.

Meus pais divorciaram quando eu tinha 10 anos e, infelizmente, nunca conseguiram resolver bem suas questões e tudo de complicado que surge durante um processo de divórcio. Como eu era a filha mais velha, eu acabei encarregada de dar recados de um para outro (já que eles não conseguiam conversar), assumindo um papel de tentar algum diálogo possível em meio a tantas mágoas e ressentimentos.

Hoje em dia fica claro para mim: todo o meu percurso na psicologia, o meu percurso de análise, tudo tinha a ver com a minha história, e minhas tentativas de elaborar todo o processo. Ao estudar para o TJ/SP foi como se eu pudesse confirmar para mim que eu estava no caminho certo, pois pude perceber que o melhor que eu poderia fazer com tudo isso era ser esse suporte de mediação e elaboração para outras pessoas. Assim, eu conseguiria ajudar outros a não passarem pelo que eu passei da maneira como tudo foi.

E isso foi a minha maior inspiração e vontade para estudar. Eu tinha certeza que esse era o cargo dos meus sonhos! Eu me imaginava atuando, podendo contribuir com, além do meu conhecimento teórico, as minhas experiências de vida! Isso me fez vencer todos os dias de muito cansaço, de desânimo. Várias aulas eu estudava e me sentia empolgada com o que estava lendo. Eu pensava: “é isso mesmo! Que ótimo que hoje em dia o Judiciário reconheceu a importância de uma escuta psicológica para resolver várias questões que chegam para disputas judiciais, mas muitas vezes podem ser resolvidas de outra forma.”

Eu estudava sempre que tinha tempo: gostava de estudar os conteúdos. Estudava sábado, domingo. Gostava de estar em dia com as aulas que eram publicadas. Refiz muitas questões de provas de TJ’s de vários estados e de várias bancas. Isso é muito importante, porque mesmo que a bibliografia não caia especificamente no seu edital, você vai tendo noção do que costuma cair nesse tipo de prova, o conteúdo cobrado tem a ver com o tipo de trabalho que é realizado lá, e se tudo isso tem a ver com você.

E aí eu te pergunto: você encontrou o seu caminho? Você sabe o que te inspira e te motiva? Você sabe qual é a atuação do cargo para o qual está estudando? Você se imagina atuando neste cargo? Acho que as respostas para essas perguntas são fundamentais para determinar seus planos, seu percurso e seu sucesso.

É importante que você determine uma área com a qual você tenha afinidade. Organizacional, clínica, judiciária, hospitalar, escolar, são muitas. Isso já vai te dar um norte e direcionamento para os estudos. E se você tomou a decisão de estudar, não pare. Não desista. Não duvide de você. E, principalmente, não se compare com ninguém. Cada um tem seu tempo de conseguir encontrar seu caminho, de conseguir aprender, de conseguir vencer.

Se você está com muitas dúvidas ou dificuldades, procure ajuda. Se as pessoas soubessem como uma terapia faz bem, elas deixariam de ter tanto preconceito com psicólogos. Ir ao psicólogo não é coisa de doido. E não é só lá que você pode conseguir suas respostas: procure um mentor, um coach. Não é vergonha precisar de ajuda. O que é ruim é você desistir do que te inspira nesta vida. Tem uma frase de Instagram que é bem conhecida que acho bem bacana: “Nunca desista de um sonho só por causa do tempo que você vai levar para realizá-lo. O tempo vai passar de qualquer forma.”

E é como diz o lema do Estratégia Concursos: o segredo do sucesso é a constância no objetivo. Persevere!

Inclusive, separamos algumas informações para vocês, psicólogos concurseiros, que podem ajudar a ter um panorama dos cargos e áreas de atuação da nossa profissão, dos editais que abriram ano passado e dos que estão abertos no momento, para que você faça uma boa escolha e faça um planejamento de vida.

Quer começar a se preparar agora?

Confira o material que a Estratégia Concursos oferece para você. Confira aqui!

Abaixo, você tem ainda acesso a informações sobre concursos da área da psicologia que estão previstos para o ano de 2018, os órgãos e os cargos que normalmente são oferecidos para essa especialidade.

Psicologia e Concursos Públicos

Existem muitos cargos destinados aos que são formados na área, dentre eles podemos citar: Agente profissional, agente de defensoria, agente de defesa civil, agente superior de serviços/Psicólogo, agente técnico, agente técnico de Assistência à Saúde, agente universitário, analista de gestão (administrativa, organizacional,  socioeducativa), analista de políticas de assistência social,  analista de RH, analista de Saúde, analista de trânsito, analista educacional, analista judiciário, especialista em saúde ou em educação, médico psicólogo, médico, Psicólogo da Saúde, Psicólogo da Saúde da Família, Psicólogo da Secretaria da Saúde; Psicólogo  do trabalho; Psicólogo educacional; Psicólogo Escolar; Psicólogo Infantil; Psicólogo Industrial; Psicólogo Júnior; etc.

De todos esses cargos, podemos citar as locações de trabalho de atuação: Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH); Defensoria Pública do Estado; Segurança Nacional; Ministério Público Estadual; Prefeituras/Municípios; Secretaria de Administração; Tribunais de Justiça; Metrô; Universidades; Fundação Casa; Centro Federal de Educação Tecnológica (CEFET); Polícia Militar; Fundação do Meio Ambiente; SESC; Polícia Civil; Polícia Federal; Forças armadas (Marinha, Aeronáutica e Exército) brasileiras; ABIN; etc.

Em especial, o concurso da ABIN será realizado no dia 11 de Março de 2018, e oferece 02 vagas imediatas para o cargo de Oficial Técnico De Inteligência com remuneração de R$ 15.312,74.

Neste mês, janeiro, saiu também edital do STJ para cadastro de reserva do cargo de psicólogo com a possibilidade de chamarem até 25 candidatos (aprovados) para uma remuneração inicial de R$ 11.006,82.

As inscrições para a prova podem ser feitas até dia 19/02; a prova será no dia 8 de abril (período da tarde), tendo a duração de 4hrs30.

Além desses, acontecerá no dia 25 de março a prova da prefeitura do Guarujá. Este oferece 02 vagas imediatas, mais vagas de reserva que chegam a 25. As inscrições podem ser feitas no período de 01 a 25 de fevereiro de 2018 pelo site da prefeitura com taxa de inscrição de R$ 88,00.

A Prefeitura de Guarujá dará uma remuneração por hora trabalhada, correspondendo em R$ 23,45, sendo 20 horas a jornada de trabalho. (Veja mais informações no nosso blog).

Falando em vagas, de maneira geral, os concursos públicos para área de psicologia oferecem entre 01 e 05 vagas, não deixando de oferecer mais – O Concurso EBSERH, em 2017, ofereceu 15 vagas imediatas e como já se viu, o do STJ, ofereceu até 25 vagas para cargo de analista.

Vale dizer que os concursos mais recorrentes para psicólogo são os municipais. Por exemplo, o concurso da Câmara Municipal de BH; a prova vai ser realizada dia 08/02 e as inscrições encerraram-se no dia 04/01. Esse concurso ofereceu 3 vagas para a área clínica e organizacional, com uma remuneração de R$ 5.561,00 (sem contabilizar os benefícios).

Há também concursos públicos que oferecem grande oportunidade para atuação na área, como é o caso do TRF, para o cargo de analista judiciário (clínico ou do trabalho) com remuneração de R$ 10.119,93. O TRF 2º Região, por exemplo, ofereceu várias vagas para cadastro reserva em 2016.

A carreira de analista está muito presente na área do Tribunal de Justiça, de diversos Estados. Muitos cargos são oferecidos. Em 2017, abriu edital para o TJ/SP, TJ/PR E TJ/PE.

As bancas que normalmente organizam essas provas são a FCC, VUNESP, CESPE, CONSULPLAN e AOCP. E a jornada de trabalho varia entre 30 a 40 horas semanais, de um concurso para outro.

Em 2018, temos previsão de abrir edital para TRT 2º Região, para o TRT/RJ, para o TRT 15º Região, com possibilidades de vagas para o cargo analista judiciário – Psicólogo.

E aí, bora estudar?

 

Confira aqui o material que a Estratégia Concursos oferece para você.